sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

SE NOS ESFORÇARMOS

SE NOS ESFORÇARMOS

A cada passo que dermos ao encontro de nós mesmo, nos levará direto aos nossos
abismos das imperfeições que temos. É preciso coragem para mudar, reenducando
na prática do amor ao proximo pois esta é a nossa meta, nos melhorar sempre.

Quando nos limitamos mesmo sabendo, a apenas olhar querendo de alguma forma
substituir os nossos dons espirituais por tarefas sem nenhum valor espiritual, nos
 levará a inercia dos bons atos, na realidade estamos sendo falsos e mentirosos por
que não aceitamos aquilo que nós escolhemos e prometemos encarar e cumprir.

A nossa meta aqui neste planeta abençoado que foi criado pela grandeza do amor
de Deus, para que possamos evoluir pelas oportunidades que nos é dada, tendo
ainda o livre arbítrio ou seja o ato de poder escolher.

Mais a melhor escolha é sem sombra de duvidas a prática do amor e do perdão
como nos alerta o Mestre e Irmão Maior Jesus, desta forma estaremos fazendo por
nós aquilo que nos pede no evangelho-"meus discípulos serão conhecidos por muito
se amarem".

Que possamos no nosso dia á dia nos esforçarmos para que coloquemos em prática
mesmo que seja o minimo do que nos pedi Jesus.


Autor: Jorge Luiz Hermínio da Silva


terça-feira, 22 de novembro de 2016

EXISTE RESGATE DE ESPÍRITOS ?




EXISTE RESGATE  DE ESPÍRITOS ?

"O poder de agressão que um espírito possa ter é somente aquele que nós mesmos lhe damos ao entrarmos em sintonia vibratória com ele. Nenhum ser inferior tem ascendência sobre outro que lhe seja superior. Logo, quando falamos em casos de obsessão é porque todos os espíritos envolvidos comungam do mesmo estado vibratório e, geralmente, até dos mesmos interesses, não havendo superiores ou inferiores.

Quando uma equipe socorrista parte em auxílio a algum espírito, é porque este já se encontra em condições de ser ajudado e já permite algum tipo de ligação psíquica de ordem superior pois, do contrário, não haveria possibilidades dele ser socorrido.

A mesma impossibilidade de afinização vibratória impede que os espíritos inferiores sequer se dêem conta da presença de entidades superiores, que dirá um ataque às mesmas.

Também temos que nos lembrar que as descrições do umbral, apesar de retratarem um local físico específico, o umbral é um estado de espírito, como o céu e o inferno, no linguajar de outras religiões, também o são.

Muitas vezes os espíritos que "estão no umbral', são justamente aqueles que estão tão profundamente mergulhados em suas próprias fantasias que não têm a menor percepção do que ocorre à sua volta.

Outros, em melhor estado, ainda podem interagir entre si e acabam por se agrupar, como é natural a todo ser humano, formando bandos que perambulam próximos (vibratoriamente falando) do plano físico, já que não têm condições de perceberem ambientes mais evoluídos.

É ao conjunto desses espíritos com suas idéias e formações mentais que damos o nome de umbral, e não a um local particular."

Autoria:
Márcia R. Farbelow e Hugo Puertas de Araújo

A Recepção na Casa Espírita






Quando alguém vai a uma casa espírita ela vai por quatro motivos:
Pela dor - bem mais comum,
Por curiosidade - são os que leem e são atraídos,
Denominação religiosa diferente - que não se encontrou onde estava,
Alguém que mudou - é espírita mais não conhece ninguém.

Agora vem à parte que pode deixar à vontade ou expelir o visitante, a recepção que a primeira vista parece que é algo de pouco valor na casa espírita, porém estes trabalhadores que se empenham em receber com um sorriso e uma boa noite a todos que adentram o recinto em busca de alivio para seu espírito, são verdadeiros seguidores de Jesus, pois fazem este belo trabalho que é deixar bem à-vontade quem está chegando para a reunião pública.
Quantos não chegam de seu trabalho cansado, frustrado, cabisbaixo que ao chegarem são recebidas com um sorriso, uma boa noite ou uma saudação "olá meu irmão... irmã... que bom que você veio olha ali tem um lugarzinho esperando por você ”, e outras tantas belas saudações.
O amigo e mestre Jesus nos diz no evangelho: "Meus discípulos serão conhecidos por muito se amarem", e a recepção é um ótimo exercício do amor ao próximo. Infelizmente algumas casas espíritas ainda não adotaram esse princípio de ter a recepção funcionando para receber uma pessoa que chega seja ela da casa ou não.
Quando fui morar em Paulo Afonso na Bahia, certo dia ao sair da rádio em que trabalhava a rádio Cultura AM/FM, disse a mim mesmo vou procurar essa casa espírita que havia visto o nome em uma camisa Centro espírita Joanna de Angelis. E lá fui eu quando encontre fiquei feliz e apreensivo, pois não era daquela Cidade, fui entrando curioso e meio por fora, sentei no fim das filas quando olhava ao meu redor, sentou-se ao meu lado alguém que de imediato deu boa noite, ao qual respondi meio encabulado e aí ele falou: ”é a primeira Vez que você vem não é, pois nunca vi você aqui? ” Respondi “sim”, dali em diante foi um diálogo de Amigos.
Fiquei feliz, pois havia sido acolhido naquela casa espírita. Tornei-me trabalhador juntamente com outras pessoas que levei aquela casa espírita, atuei em vários departamentos mim senti útil, tenho boas lembranças e saudades de todos e principalmente do amigo Ricardo que mim deu as boas-vindas quando lá chequei pela primeira vez.
É assim que funciona a recepção na casa espírita, dando boas vindas e fazendo as pessoas se sentirem melhores, amadas e verdadeiros irmãos em Jesus.

Autor: Jorge Luiz Hermínio


segunda-feira, 21 de novembro de 2016

A BOA MÚSICA QUE ENCANTA




Suicídio Nunca!



Integrando a repesa falange, muitos haviam patenteando o fruto nefasto da
escassa educação moral obtida nos lares destituídos da verdadeira iluminação cristã!
Jovens que, apenas saídos da adolescência, haviam tombado inermes ao primeiro choque com as contrariedades comuns à existência terrena, preferindo a aventura do suicídio, completamente faltos de ideal, de senso, de respeito a si mesmo, à Família e a Deus! As desgraças por eles encontradas, além do suicídio, eram como o terrível

atestado, o pavoroso libelo contra a irresponsabilidade dos pais ou responsáveis por eles à face de Deus, a prova infamante da desatenção com que se portaram deixando de diligenciar sólida edificação moral em torno deles! Para tais casos, soubemos que severas contas deveriam prestar futuramente às Soberanas Leis os descautelosos pais que permitiram asas às perniciosas inclinações dos filhos, sem tentar corrigi-las, favorecendo assim ocasiões aos desequilíbrios desesperados de que o suicídio foi o lógico resultado!

Autor: Camilo Cândido Botelho
Psicografia de Yvonne A. Pereira. LivroMemórias de um Suicida

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Deixe-me viver - Novo filme espírita

Deixe-me viver - Novo filme espíritaAcompanhe o trilher do filme
que tem um produção do cinema brasileiro.